11 de abr de 2009

dentro do metal... tudo?

Aparentemente, eu era um deles, me vestira de acordo, e, num pretinho básico, ninguém me olharia com curiosidade nem no shopping, nem ali, mas eu observava tudo tentando entender o gosto daquelas pessoas, e compartilhar, quem sabe, o sentimento delas.
Ali, naquele mesmo lugar estavam pessoas com diferentes opiniões e personalidades, assim como, das poucas que eu conheço, algumas eu adoro, outras eu odeio, mas unidas por um gosto em comum, exceto eu, que analisava todos como um único exemplar, via eles como público.
Achei bizarro um homem gritar estridente no telão, com a cara bem grande em primeiro plano, fazendo sua música, pra mim, não passavam de gritos em um idioma que eu não domino.
Na primeira banda, pirei, tá, o cara mais que gritava, grunhia indistingüivelmente no microfone, e arrisco que em idioma algum, ainda que eu falasse a língua dos homens da terra inteira, e dos anjos, eu não entenderia o que ele cantava, mas a guitarra zunia fantástica na minha frente, bem diante dos meus olhos, a visualização do som que se propagava pelo ambiente um tanto quanto vazio.
A última banda me levou mais próxima ao contexto, a voz era mais agradável, ainda que eu não entendesse o significado das palavras, distinguia-as, ao menos, o baixista era realmente belo, e as músicas se pareciam com o que eu já tinha escutado do gênero, mas ver algumas pessoas com as pernas um pouco abertas para dar equilíbrio, balançarem as cabeças, para baixo e para cima, como que automaticamente, afastou o sentimento de empatia que flertou brevemente com minha curiosidade. Algumas pessoas pareciam sentir a música ao chacoalhar a cabeça e movimentar o corpo, prostrando-se aos pés d palco ou às cordas da guitarra, até fazendo o cabelo se movimentar de modo fantástico, mas outros me pareceram apenas maquinais.

A segunda vez foi mais legal, eu curti o som, mas ainda não sei o que dizem, ainda da pra decepcionar. Estava bem mais cheio, mas tinha bem menos cabelo.

5 comentários:

Henrique Miné disse...

talvez o Ulisses não vá gostar muito disso....
hahaha.
mas eu gostei, ri muito aqui.
xDD

Iceman disse...

Você pega o jeito, auhahuauhahuahuuhaahua!

Carol disse...

uahsiuhsai ond q vc foi? q pardiero era esse? hsuaihsuiahuishauisa

Lara disse...

Ahh!
Ficaa tranquila que já já seus cabelos é que estarão "se movimentando de forma fantástica" uhahua =P

Obs.: "pardiero"?!?!? Tsc tsc tscc

=**

Ulisses disse...

'talvez o Ulisses não vá gostar muito disso....
hahaha.'

haeheaheahea
metal é issaê mano, chacoalha as cabelera e grunir no microfone! ouiê!

heaheahe