19 de jul de 2009

lar, doce lar

Sentia pela primeira vez que ia embora de casa
Sentia pela primeira vez que aquela casa era um lar... de outros lares já fora embora antes, sabia qual era a sensação
Fez as malas e esvaziou o quarto, enquanto contemplava o cômodo vazio já sentia falta... Nem saíra da casa ainda, mas a cachorra já não estava ali, faziam falta aqueles latidos insistentes e irritantes pedindo a porta aberta e o acesso ao sofá preferido livre....
A vontade de ficar, pelas madrugadas de conversa, mesmo quando não se devia estar acordada de madrugada
A vontade apertada de ficar, de ficar nos abraços, dos carinhos e das palavras mudas que confessam tanto, dos olhares que prendem e gritam segredos
A casa já estava vazia, só faltava ir embora

Dualismo confuso, queria ficar e ir. Ouvir a vontade sufocante de permanecer, podia até ser, e melhor que fosse, escondida, naquele mundo em que o tempo não existe, mas passa voando, e num piscar de olhos, é tarde, já é manhã janela à fora.

E quando abriu o portão, teve a impressão de que a cachorra corria recebe-la, afobada e contente. Não havia animal algum ali, celebrando, mas sim seu coração que sentia, inquieto, que estava de novo em casa, mas de casa acabara de sair.
E sabia, que ali, de onde se distanciava aos poucos, havia tanta gente esperando sua volta, ainda que vivendo bem na sua ausência.
E resolveu aproveitar, e saiu como nos dias comuns de antes, comprar um lanche no trailer na esquina do posto de saúde, ver tv e dormir tarde, estar em casa, mesmo aflita por ter deixado à pouco um outro lar, pro qual voltaria em breve, e por saber disso, não sentia tanto medo, mas sabia, que logo sentiria muita falta, como sentiria desse quando tivesse que sair de casa pra voltar pra casa, de novo.

7 comentários:

Carol disse...

Hum.. deprimente isso de sair de casa.


Ah, vc tinha diminuido os erros de port, voltaram agora com força total?! hahaha
Nem falo nada.



O legal das suas férias vai ser q vc vai tá de férias sozinha ¬¬'

Lara Beraldi disse...

Ahhh..
Eu senti, praticamente, a mesma coisaa..
Nosso liinddoo e arrumadoo (cof cof) larr =~~

"mas a cachorra já não estava ali, fazia falta aqueles latidos insistentes e irritantes pedindo a porta aberta e o acesso ao sofá preferido livre...."
Juroo que quase choreii! Eu queroooo a Vetra =/

=**

Ulisses disse...

heaheahe essas coisas sao tristes =/

muito boa escrita :)

Henrique Miné disse...

hahahah, caralho, muito bom.

Arrisco-me a dizer que é o melhor até agora *-* Gostei mesmo.


Beeeijos.

GihH_ disse...

uauuuu
AMEIIIIII
melhor texto

;D

Rafa Cullen disse...

lindo, e triste. amay *-* beijinhos ;*

Lara Beraldi disse...

Os dias estão tãoo monótonos assim que naoo atualiza esse blog??
Eu achoo que nãoo, hein.. HUhuahu
Tem coisaa por demaiss pra escrever ae.. Issoo sim! HUAhuAhu

Tomaaa tentoo meninaa!

Xôo preguiça! UHAHUahua =P